CEFET-MG

Sobre o NOS

nos

O Núcleo de Orientação para a Sustentabilidade (NOS) é um grupo que busca integrar a investigação sobre a engenharia sustentável no meio acadêmico e a sociedade. Atualmente muitas pesquisas são direcionadas às técnicas construtivas e tecnologias sustentáveis, bem como ao uso da arquitetura vernacular como alternativa viável para o alcance da sustentabilidade.  Este projeto pretende estabelecer um mecanismo de integralização que veicule para a comunidade tais estudos, buscando sua adaptação à realidade do município e da comunidade atendida.

Através da implantação de um escritório publico de práticas de engenharia os alunos atenderão a comunidade direcionando as soluções adotadas com vistas ao desenvolvimento sustentável em todos os seus aspectos: ambiental, econômico e social.

 

ANDAMENTO DAS ATIVIDADES EM OUTUBRO DE 2016:

A ação inicial do projeto foi a capacitação da equipe. Foram realizadas reuniões periódicas com a tutoria das professoras orientadoras. Durante estas reuniões discutiu-se a Lei 11.888/08, que garante assistência técnica para o projeto e a construção de habitação de interesse social de forma a entender o seu histórico, público alvo, forma de prestação da assistência, tipos de serviços que contempla, dentre outros. Foi discutida também a metodologia a ser utilizada nos atendimentos a partir da discussão de experiências já realizadas no Brasil. Foi possível notar o envolvimento de toda a equipe que contribuiu na definição de uma metodologia adequada.

Durante estas reuniões foi elaborado um questionário a ser aplicado no início do atendimento. A partir dele é possível diagnosticar o perfil da família a ser atendida, a situação de regularidade do lote e do programa de necessidades do projeto. Este questionário funciona também como um instrumento para identificar a prioridade de atendimento à família, classificando as demandas como urgentes, se necessário. Durante a aplicação do questionário foram identificadas falhas possibilitando o seu constante aprimoramento.

Em adição o grupo criou o esquema organizacional do escritório público. Foi definido o cargo de gerente geral e quatro cargos de gerentes, todos ocupados por estudantes da graduação. Cada gerente é responsável por um atendimento, assessorado por três projetistas, cargos ocupados por estudantes do nível técnico, sendo um de cada área de conhecimento (edificações, meio ambiente e eletrotécnica). O gerente geral realiza as ações de organização, relações externas, fiscalização e suporte para os quatro gerentes.

O grupo organizou uma palestra visando discutir a inclusão da pessoa surda no espaço construído. Durante esta palestra foi possível a divulgação do NOS para toda a comunidade acadêmica. Também como estratégia de divulgação do projeto foi criada uma página nas redes sociais na qual são postadas matérias sobre as ações e pesquisas do grupo.

Foram iniciadas as revisões bibliográficas sobre os eixos temáticos propostos na metodologia do projeto: certificações ambientais como estratégia para o projeto sustentável, preservação do patrimônio histórico como estratégia para sustentabilidade urbana, acessibilidade de edificações e espaços de uso público segundo a NBR 9050/15 e assistência técnica para habitação de interesse social. Estas revisões proporcionaram a produção de artigos com comunicação oral em eventos científicos e a aprovação de dois projetos de iniciação científica em edital interno do CEFET-MG.

Destaca-se a realização de visitas técnicas com o objetivo de discutir os eixos temáticos de pesquisa. Duas delas, na cidade de Ouro Preto, durante as quais foram realizadas dinâmicas para educação patrimonial e identificadas técnicas construtivas sustentáveis utilizadas nas construções do período colonial. Outra duas visitas aconteceram na cidade de São Paulo nas quais, entre outros pontos, visitou-se duas edificações certificadas pelo LEED como sustentáveis. As ações realizadas durante as visitas resultaram em artigos com apresentação oral em eventos científicos e participação em mostra de trabalhos do CEFET-MG.

A equipe participou de três eventos científicos externos a instituição durante os meses iniciais do projeto. Dentre eles destaca-se a participação de toda a equipe no Fórum Habitar 2015. Este evento reuniu os diversos agentes relacionados com a temática habitação e propiciou uma discussão multidisciplinar sobre questões teóricas e práticas relacionadas ao habitar nas cidades. A equipe participou de palestras, apresentações de trabalhos e oficinas que contribuíram de forma significativa para o entendimento das questões de pesquisa e extensão propostas pelo projeto aqui relatado. A equipe participará do Habitar 2016 no final do mês de novembro de 2016 com duas comunicações orais.

O diagnóstico urbano do município de Curvelo foi iniciado pela leitura técnica. Foram utilizadas como fontes de pesquisa o Censo do IBGE 2010 e uma base de dados de Curvelo e Microrregião disponibilizada pelas secretarias municipais de Administração, Políticas Sociais e Desenvolvimento Sustentável. Foram sintetizados dados referentes à história e destaques regionais, geografia, vegetação e clima, além de dados populacionais.

O catálogo de técnicas sustentáveis foi iniciado e foram realizadas 3 oficinas para teste das tecnologias.

Foram realizadas parcerias com um escritório de práticas jurídicas de uma faculdade da região e com uma equipe organizada pelo assistente social, técnico administrativo do CEFET, que conta com a adesão voluntária de duas assistentes sociais e um psicólogo.

O escritório público conta com 9 atendimentos em andamento.

FOTOS:

 

Figura 1: Oficina - Separação das embalagens Tetra-Pak.

Figura 1: Oficina – Separação das embalagens Tetra-Pak. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 2: Oficina - Confecção das placas que formam a manta térmica.  Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 2: Oficina – Confecção das placas que formam a manta térmica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 3: Oficina - Preparação da terra para tinta ecologica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 3: Oficina – Preparação da terra para tinta ecologica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 4: Oficina - Preparação da tinta ecológica.  Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 4: Oficina – Preparação da tinta ecológica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 5: Oficina - Aplicação da tinta ecologica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 5: Oficina – Aplicação da tinta ecologica. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 6: Atendimento escritório público – levantamento topográfico. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 6: Atendimento escritório público – levantamento topográfico. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 6: Atendimento escritório público – inspeção predial. Fonte: Arquivo do autor (2016)

Figura 6: Atendimento escritório público – inspeção predial. Fonte: Arquivo do autor (2016)