CEFET-MG

Núcleo de orientação para sustentabilidade (NOS)

  1. IDENTIFICAÇÃO DA ATIVIDADE

TÍTULO DA ATIVIDADE: Núcleo de orientação para sustentabilidade (NOS)

PARTICIPANTES DA ATIVIDADE

COORDENADOR:

Ana Cecília Estevão

anacestevao@yahoo.com.br

Link do Lattes:  http://lattes.cnpq.br/3229731861390460

CO-COORDENADORES (AS):

Anderson Marques

Felipe Sérgio Bastos Jorge

Lourdiane Gontijo das Mercês Gonzaga

Patrícia Bhering Fialho

COLABORADORES:

Rosa Paulino (Assistente social)

Núcleo de práticas jurídicas da FAC

ALUNOS:

Bolsistas:

Luiz Henrique Pimenta Fernandes – Engenharia civil

Matheus Henrique Araújo Silva – Engenharia civil

Voluntários:

Aline Mendes Pereira – Técnico em Eletrotécnica

Biannca Almeida Vieira – Técnico em Meio Ambiente

Deric Augusto França de Sales– Técnico em Edificações

Diego Pereira de Araújo Cruz –Técnico em Eletrotécnica

Edson Gonçalves Filho – Engenharia Civil

Eva Priscila Cardoso – Engenharia Civil

Fernanda Oliveira Marques – Técnico em Eletrotécnica

Gabriel Silveira Rocha – Engenharia Civil

Giovanna de Souza Lucena Trindade – Técnico em Meio Ambiente

Helena CamposRatton – Técnico em Meio Ambiente

Humberto Oliveira e Silva– Técnico em Edificações

Leonara da Silva Fernandes – Técnico em Edificações

Marta Silveira Pardinho – Técnico em Meio Ambiente

Patrícia Vitória Ribeira da Silva – Técnico em Edificações

Raphaella Oliveira Nascimento Silveira – Técnico em Edificações

Tamires Giselle da Silva Duarte – Engenharia Civil

Warley José de Souza – Técnico em Edificações

 

CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

DESCRIÇÃO:

O Núcleo de Orientação para a Sustentabilidade (NOS) é um grupo que busca integrar a investigação sobre a engenharia sustentável no meio acadêmico e a sociedade. Atualmente muitas pesquisas são direcionadas às técnicas construtivas e tecnologias sustentáveis, bem como ao uso da arquitetura vernacular como alternativa viável para o alcance da sustentabilidade.  Este projeto pretende estabelecer um mecanismo de integralização que veicule para a comunidade tais estudos, buscando sua adaptação à realidade do município e da comunidade atendida.

Através da implantação de um escritório público de práticas de engenharia os alunos atenderão a comunidade direcionando as soluções adotadas com vistas ao desenvolvimento sustentável em todos os seus aspectos: ambiental, econômico e social.

METODOLOGIA: pode ser dividida em 4 etapas com desenvolvimento simultâneo:

  • Ações de capacitação da equipe: Nesta etapa os alunos realizam pesquisas que formam o referencial teórico para o projeto, este referencial pode ser organizado em quatro eixos principais sendo eles: certificações ambientais como estratégia para o projeto sustentável, preservação do patrimônio histórico, como estratégia para sustentabilidade urbana, acessibilidade de edificações e espaços de uso público segundo a NBR 9050/15 e assistência técnica para habitação de interesse social. Em adição são realizadas reuniões periódicas, os alunos assistem palestras, participam de congressos e realizam visitas técnicas com temas relacionados aos eixos de pesquisa do projeto.
  • Diagnóstico urbano do município: Esta etapa é realizada através da leitura técnica e da leitura comunitária do município, utilizando como referência a metodologia adotada na elaboração dos planos diretores participativos realizados no país após a aprovação do Estatuto das Cidades. A leitura técnica é realizada através de pesquisas em material impresso e digital bem como pesquisas junto aos órgãos municipais. A leitura comunitária acontece através de entrevistas com a população e reuniões junto às associações comunitárias.
  • Organização do banco de tecnologias sustentáveis: São realizadas pesquisas sobre técnicas construtivas e tecnologias sustentáveis de baixo custo desenvolvidas pelas universidades no Brasil e mundo. Com a devida referência estas pesquisas são organizadas em formato de cartilhas que facilitem a sua execução e posterior divulgação entre a comunidade atendida pelo projeto. São realizados testes de execução das tecnologias antes que as mesmas sejam utilizadas nos atendimentos.
  • Atendimentos do escritório público: O projeto é divulgado no meio acadêmico através das redes sociais e no método boca a boca. A divulgação para a comunidade de todo município acontece através de parcerias com as associações comunitárias e também através da divulgação boca a boca. A primeira etapa do atendimento é a realização de um questionário previamente elaborado pela equipe que busca entender o perfil socioeconômico da família atendida e as necessidades construtivas do imóvel. Será buscada uma parceria com uma equipe jurídica para as questões relativas a propriedade do imóvel e uma equipe de assistência social para a realização do pré e pós morar, bem como, ações para geração de trabalho e renda. O atendimento engloba: projetos, memorial descritivo das tecnologias sustentáveis e suas respectivas cartilhas de execução e manutenção, e acompanhamento da obra.

RESPONSABILIDADE TÉCNICA DOS SERVIÇOS OFERTADOS: Felipe Sérgio Bastos Jorge (arquiteto e urbanista, técnico em edificações, Técnico administrativo no CEFET-MG)

ESQUEMA ORGANIZACIONAL DO ESCRITÓRIO PÚBLICO: Gerentes gerais (alunos bolsistas) e quatro cargos de gerentes (alunos voluntários), todos ocupados por estudantes da graduação. Cada gerente fica responsável por um atendimento assessorado por três projetistas (alunos voluntários), cargos ocupados por estudantes do nível técnico sendo um de cada curso, edificações, meio ambiente e eletrotécnica. Os gerentes gerais serão responsáveis pelo diagnóstico urbano do município, organização do banco de tecnologias sustentáveis, organização das ações de capacitação e acompanhamento/suporte aos atendimentos no escritório público.

PROCESSO DE ACOMPANHAMENTO: Ao longo do projeto serão realizadas reuniões semanais com a orientadora e/ou co-orientadores. Será desenvolvida uma pasta online compartilhada com todo grupo para catálogo da produção. Uma vez por mês será realizada uma visita com o acompanhamento da orientadora aos clientes atendidos.

AÇÕES JÁ REALIZADAS: O projeto foi aprovado através de demanda espontânea na Diretoria de extensão em 3 de março de 2016. Antes desta data o projeto era realizado de forma independente a partir do início do ano de 2015.

RESULTADOS PARCIAIS: Foram realizadas reuniões internas para treinamento e capacitação, 2 palestras abertas ao público em geral, visitas técnicas, participação da equipe em 4 eventos científicos com apresentação oral. Foi elaborado um questionário a ser aplicado no início do atendimento. Foi iniciado o diagnóstico urbano do município, catálogo de técnicas sustentáveis e estão em andamento 4 atendimentos.

DESAFIOS: Através dos alunos bolsistas ampliar o número de atendimentos no escritório público, tornar as ações de capacitação constantes, finalizar em menor tempo o diagnóstico urbano e ampliar o banco de tecnologias sustentáveis. Implantar o espaço físico do escritório possibilitando melhor qualidade no desenvolvimento do projeto de extensão.

No DE PESSOAS DIRETAMENTE BENEFICIADAS: 78000

ETAPA DA ATIVIDADE EXTENSIONISTA EM OUTUBRO DE 2016:

A ação inicial do projeto foi a capacitação da equipe. Foram realizadas reuniões periódicas com a tutoria das professoras orientadoras. Durante estas reuniões discutiu-se a Lei 11.888/08, que garante assistência técnica para o projeto e a construção de habitação de interesse social de forma a entender o seu histórico, público alvo, forma de prestação da assistência, tipos de serviços que contempla, dentre outros. Foi discutida também a metodologia a ser utilizada nos atendimentos a partir da discussão de experiências já realizadas no Brasil. Foi possível notar o envolvimento de toda a equipe que contribuiu na definição de uma metodologia adequada.

Durante estas reuniões foi elaborado um questionário a ser aplicado no início do atendimento. A partir dele é possível diagnosticar o perfil da família a ser atendida, a situação de regularidade do lote e do programa de necessidades do projeto. Este questionário funciona também como um instrumento para identificar a prioridade de atendimento à família, classificando as demandas como urgentes, se necessário. Durante a aplicação do questionário foram identificadas falhas possibilitando o seu constante aprimoramento.

Em adição o grupo criou o esquema organizacional do escritório público. Foi definido o cargo de gerente geral e quatro cargos de gerentes, todos ocupados por estudantes da graduação. Cada gerente é responsável por um atendimento, assessorado por três projetistas, cargos ocupados por estudantes do nível técnico, sendo um de cada área de conhecimento (edificações, meio ambiente e eletrotécnica). O gerente geral realiza as ações de organização, relações externas, fiscalização e suporte para os quatro gerentes.

O grupo organizou uma palestra visando discutir a inclusão da pessoa surda no espaço construído. Durante esta palestra foi possível a divulgação do NOS para toda a comunidade acadêmica. Também como estratégia de divulgação do projeto foi criada uma página nas redes sociais na qual são postadas matérias sobre as ações e pesquisas do grupo.

Foram iniciadas as revisões bibliográficas sobre os eixos temáticos propostos na metodologia do projeto: certificações ambientais como estratégia para o projeto sustentável, preservação do patrimônio histórico como estratégia para sustentabilidade urbana, acessibilidade de edificações e espaços de uso público segundo a NBR 9050/15 e assistência técnica para habitação de interesse social. Estas revisões proporcionaram a produção de artigos com comunicação oral em eventos científicos e a aprovação de dois projetos de iniciação científica em edital interno do CEFET-MG.

Destaca-se a realização de visitas técnicas com o objetivo de discutir os eixos temáticos de pesquisa. Duas delas, na cidade de Ouro Preto, durante as quais foram realizadas dinâmicas para educação patrimonial e identificadas técnicas construtivas sustentáveis utilizadas nas construções do período colonial. Outras duas visitas aconteceram na cidade de São Paulo nas quais, entre outros pontos, visitou-se duas edificações certificadas pelo LEED como sustentáveis. As ações realizadas durante as visitas resultaram em artigos com apresentação oral em eventos científicos e participação em mostra de trabalhos do CEFET-MG.

A equipe participou de três eventos científicos externos a instituição durante os meses iniciais do projeto. Dentre eles destaca-se a participação de toda a equipe no Fórum Habitar 2015. Este evento reuniu os diversos agentes relacionados com a temática habitação e propiciou uma discussão multidisciplinar sobre questões teóricas e práticas relacionadas ao habitar nas cidades. A equipe participou de palestras, apresentações de trabalhos e oficinas que contribuíram de forma significativa para o entendimento das questões de pesquisa e extensão propostas pelo projeto aqui relatado. A equipe participará do Habitar 2016 no final do mês de novembro de 2016 com duas comunicações orais.

O diagnóstico urbano do município de Curvelo foi iniciado pela leitura técnica. Foram utilizadas como fontes de pesquisa o Censo do IBGE 2010 e uma base de dados de Curvelo e Microrregião disponibilizada pelas secretarias municipais de Administração, Políticas Sociais e Desenvolvimento Sustentável. Foram sintetizados dados referentes à história e destaques regionais, geografia, vegetação e clima, além de dados populacionais.

O catálogo de técnicas sustentáveis foi iniciado e foram realizadas 3 oficinas para teste das tecnologias.

Foram realizadas parcerias com um escritório de práticas jurídicas de uma faculdade da região e com uma equipe organizada pelo assistente social, técnico administrativo do CEFET, que conta com a adesão voluntária de duas assistentes sociais e um psicólogo.

O escritório público conta com 9 atendimentos em andamento.

FOTOS:

 Separação das embalagens Tetra-Pak

nos-2 nos-3 nos-4 nos-5 nos-6 nos-7