CEFET-MG

ProTour-Visitas orientadas

  1. IDENTIFICAÇÃO DA ATIVIDADE

TÍTULO DA ATIVIDADE:ProTour – Visitas orientadas

PARTICIPANTES DA ATIVIDADE

COORDENADOR:

Felipe Sérgio Bastos Jorge

felipebjorge@hotmail.com

Link do Lattes: http://lattes.cnpq.br/3421634217152902

CO-COORDENADORAS:

Ana Cecília Estevão

Patrícia Bhering Fialho

ALUNOS:

Daiane Mendes da Silva

Sérgio Henrique Corgozinho Ribeiro Araújo

 

  1. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

DESCRIÇÃO:

O ProTour é um projeto cultural que pretende realizar visitas orientadas em várias cidades brasileiras, realizando ações de educação ambiental e patrimonial que se inter-relacionam desde o planejamento até as atividades pós-visita na medida em que, são discutidos no contexto da construção civil, os conceitos de sustentabilidade ambiental, cultural, social e econômica, a importância da herança cultural na construção das cidades atuais, a função da continuidade do uso como estratégia de manutenção das edificações, as certificações ambientais e valorização do patrimônio arquitetônico e, principalmente, a função do engenheiro civil e do técnico em edificações, meio ambiente e eletrotécnica em todo este contexto.

OBJETIVOS: Desenvolver no futuro profissional, engenheiro civil ou técnico em edificações, meio ambiente e eletrotécnica, o entendimento da cidade e seu valor histórico e cultural, relacionado à apropriação efetiva dos espaços pela comunidade; Possibilitar a identificação física de conteúdos teóricos estudados em sala; Estabelecer a cidade como território vivo nos processos educativos e que esta ação seja continuada nas práticas de ensino; Promover a iniciação a prática docente.

PÚBLICO ALVO:

Alunos bolsistas (neste projeto identificados como “organizadores”), Alunos participantes das visitas (neste projeto identificados como “participantes”), População das cidades visitadas (neste projeto identificados como “Anfitrião”), População de Curvelo e região (neste projeto identificados como “população local”)

 

METODOLOGIA:

A metodologia do trabalho aqui apresentado envolve ações anteriores, durante e pós-visita, que buscam reconhecer o aluno como centro da aprendizagem, desta forma os alunos conduzirão todo o processo, desde a escolha da cidade até as ações de apropriação do conhecimento posteriores à visita.

Anteriormente a visita, a cidade na qual será realizada a ação de educação patrimonial será escolhida pelos organizadores. Esta escolha deverá considerar questões relacionadas aos conteúdos a serem trabalhados que devem envolver, no mínimo, patrimônio histórico e sustentabilidade das edificações.  Escolhida a cidade passa-se a escolha do roteiro da visita. Além das questões de conteúdo já apontadas os organizadores devem programar o roteiro de acordo com a disponibilidade de transporte, característica da turma que irá participar da visita e tempo disponível. As edificações a serem visitadas serão estudadas em relação ao estilo arquitetônico, sistema construtivo e características sustentáveis, gerando um guia educativo para a visita. Os participantes, dentro do roteiro definido, deverão realizar uma pesquisa sobre as edificações com relatório escrito ou uma apresentação oral durante a visita. Durante a visita serão realizadas atividades de educação patrimonial segundo as orientações do Manual de Atividades Práticas de Educação Patrimonial, unindo ações de observação, registro, exploração e apropriação.  Posterior à visita, serão produzidas mostras de fotografias, vídeos e/ou cartões postais. Este produto final é divulgado diretamente para a comunidade acadêmica e para a população local e indiretamente em outras cidades através das redes sociais.

PROCESSO DE ACOMPANHAMENTO:

Reuniões semanais com o orientador e/ou co-orientadoras. Criação de uma pasta compartilhada online. Acompanhamento do orientador e/ou co-orientadoras durante as visitas.

No DE PESSOAS DIRETAMENTE BENEFICIADAS:80.000

ETAPA DA ATIVIDADE EXTENSIONISTA EM OUTUBRO DE 2016:

AÇÕES JÁ REALIZADAS:

Seguindo a metodologia aqui apresentada o ProTour realizou duas visitas à cidade de Ouro Preto-MG, duas à cidade de Belo Horizonte – MG, duas à cidade de São Paulo-SP e uma à cidade Diamantina-MG.

 

RESULTADOS PARCIAIS:

– A proposta metodológica do projeto cultural ProTour se mostrou eficiente na medida em que reconhece o aluno como principal agente na construção do conhecimento. Seja através da organização das visitas ou da participação nas atividades anteriores, durante e posteriores à visita, o aluno relaciona seus conhecimentos prévios aos adquiridos e desta forma constrói de forma ativa e duradoura o conhecimento.

– Através das visitas é possível trabalhar diferentes conteúdos teóricos e garantir que a abordagem gere significado ao aluno. Pode-se ainda promover maior proximidade entre aluno e professor, a cooperação entre alunos, feedback imediato, maior domínio em relação ao tempo de execução de uma tarefa e o respeito aos diferentes talentos e formas de aprendizagem.

– Foi possível verificar grande comprometimento dos alunos com o conteúdo estudado. O ensino se torna dinâmico e é absorvido de forma mais consistente, contribuindo para um aprendizado eficiente.

– Através das visitas orientadas é possível, de forma coletiva e democrática, promover o diálogo constante entre comunidade acadêmica e sociedade.

– Publicação de dois artigos com apresentação oral em Fórum regional.

 

FOTOS:

protour-1 protour-2 protour-3

CARTA PARA LINA – Primeira visita a São Paulo

 

“Querida Lina,

Quanto tempo hein, faz anos que não nos vemos!

Me recordo com muita saudade daquela minha viagem a Itália quando criança, onde meu pai estava viajando a negócios, e numa visita ao parque nossos pais se encontraram e nos colocaram para brincar no playground. Foi uma tarde maravilhosa, de muita diversão! Pena que depois desses 45 anos que se passaram pudemos nos encontrar poucas vezes.

Mas me deixe atualizar a minha vida para você e te contar uma grande surpresa que tive.

(…) Mas o que mais quero destacar foi uma visita que um amigo me indicou: a Casa de Vidro. Só sabia que tinha sido uma arquiteta renomada que a tinha projetado. Quando o rapaz que cuida da casa disse o nome dela, quase tive um enfarto! Minha amiga de infância se tornou uma grande arquiteta que marcou a história do Brasil! Fiquei contagiado pela sua história e obras, e depois disso não pude deixar de visitar o Museu de Arte de São Paulo. E ainda tem mais: atuei como tradutor durante a visita a sua antiga casa! :) No hostel onde fiquei hospedado, conheci Mitch, um canadense que estava de passagem pelo Brasil. Ele me acompanhou na visita e pudemos partilhar um pouco de nossas culturas. Foi tudo fantástico!”.

protour-4

Figura 4 – Visita a Diamantina – Cartão Postal da Casa JK – Diamantina/MG.